Um ano de golpe na PUC SP

Foto Página PUC-SP Democracia Texto por Patricia Iglecio

No fim de 2013 a PUC SP completa um ano de golpe da professora Ana Cintra, com muita resistência e muita luta os alunos passaram por um ano difícil dentro da Universidade.

Algumas atitudes autoritárias como, por exemplo, ter impedido no começo do ano um debate sobre democracia na América Latina deixaram uma triste marca para a vida democrática da universidade. Além disso, a sindicância contra a professora Bia Abramides foi o maior absurdo cometido pela reitora ilegítima.

Mas a professora não exerceu seu cargo em paz. Protestos dentro da universidade não faltaram, o que inibiu a reitora de participar de todos os eventos dentro da universidade, foi recebida e esperada o ano inteiro com muita vaia pelos anos. Sem contar o fato de que ela está sendo processada pelo CONSUN em conjunto com os alunos do CA de direito, 22 de agosto.

Apesar da decepção da demora do processo, das implicações políticas que favorecem o lado obscuro da força (a Igreja e professora Ana Cintra), os alunos obtiveram vitória ao longo do ano. No dia primeiro de Agosto a ação do CONSUN contra a Ana Cintra foi julgado, e o juiz reconheceu que ela era uma reitora ilegítima; entretanto a Fundação São Paulo entrou com um recurso.

A PUC, que é uma Universidade com grande histórico de luta pela democracia, passou por um ano de muito autoritarismo, mas o esperado é que a resistência do movimento estudantil traga resultados para o ano que vem.