A tal Lei das biografias

“Pare de escrever!”

Por Hélen de Freitas, Juliana Lima e Nicolás Lepratti

Em outubro, o tema das biografias não autorizadas voltou a ser destaque na mídia. Após declarações de diversos artistas brasileiros prestigiados, a população ficou na dúvida sobre qual posicionamento tomar a respeito desse assunto. Mas, o que vale mais: a liberdade de expressão ou a credibilidade do biografado?

Há um Projeto de Lei em trâmite no Congresso Nacional que mudará a Lei a respeito das biografias não autorizadas. Nas últimas semanas, a polêmica aumentou após a empresária Paula Lavigne, ex-mulher de Caetano Veloso, anunciar que o grupo “Procure Saber” tenta barrar essas modificações. Porém, Roberto Carlos, um dos integrantes desse grupo até esta data, declarou-se favorável as biografias não autorizadas em entrevista concedida ao Fantástico, no dia 27 de outubro. O cantor, na verdade, apresentou o mesmo discurso, só que dessa vez de forma branda.

O Procure Saber não sabe de nada. Começou tentando barrar as mudanças agora diz que é contra censura prévia. Suas alegações não possuem fundamentos e mudam de opinião a cada momento. Como o grupo quer formar opiniões sobre o tema biografia e ainda tentar barrar um Projeto de Lei, que só quer ampliar a liberdade de expressão dos brasileiros?

A opinião desse grupo não representa todas as pessoas públicas a respeito das biografias. Em matéria na Folha de S. Paulo, José Dirceu afirmou que “O veto às biografias é, antes da defesa da privacidade do biografado, uma censura velada à liberdade de expressão, conquista que a sociedade brasileira alcançou depois de anos de regime militar”. Ele mesmo já foi biografado e duramente atacado, mesmo assim, decidiu não processar o autor do livro “Dirceu”.

A liberdade de expressão deve ser garantida à cima de tudo. Escrever uma biografia e respeitar as “regras” do biografado é fazer uma fazer uma propaganda, ao invés de relatar uma história. Neste tipo de livro não se deve esconder nada, cada ação do protagonista ajudou a formar quem ele é.

Opinião do grupo Procure Saber