FUTEBOL NA UNIVERSIDADE

Por Guilherme Raia e José Ayan Jr.

O ambiente das universidades paulistas não se restringe apenas ao meio acadêmico, mas também ao esportivo, que é importante para a consolidação do espírito altruísta e de competitividade, vitais para a formação de um bom profissional para o mercado de trabalho. Conciliar os estudos e a carreira profissional (em muitos casos), junto ao futebol universitário não é uma das tarefas mais fáceis, sacrifícios e uma rotina apertada tornam-se parte do cotidiano de estudantes dos mais variados cursos, porém a confraternização entre amigos e sensação de adrenalina fazem com que tudo valha a pena.

Apesar do JUCA (Jogos Universitários de Comunicação e Arte) ser o torneio mais cobiçado pelos cursos da área, outros torneios acontecem durante o ano, como o da NDU (Núcleo Desportivo Universitário), que no início do próximo mês chega a seu mata-mata, o qual time da Comunicação PUC-SP, apelidado de Cachorro Louco,  garantiu a sua classificação no dia 27 de outubro.

Depois de um bom início com sete pontos conquistados em 12 disputados, o time passou a derrapar nos finais das partidas, contabilizando até oito pontos perdidos nos acréscimos durante toda a competição. Duas derrotas seguidas deixaram o time em situação delicada, precisando de pontos nas rodadas finais para chegar à próxima fase. Na penúltima rodada, um empate com o líder elevou a moral do time para o confronto final, contra a Medicina Paulista. A vitória por dois a zero colocou matematicamente o time nas quartas de final.

Mesmo depois de deixar a universidade, ex-alunos mantêm os vínculos com o time e os amigos, um exemplo disso, é o Cachorro Velho, formado por ex-jogadores do Cachorro Louco que permanecem com a união que vem desde os tempos de faculdade.

Imagem