A injustiça atemporal em “O caso dos irmãos naves”

579271_564989620223477_188955310_n
  Foi exibido na 37ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo o filme “O caso dos irmãos naves”, filme baseado no maior erro cometido pela justiça Brasileira da época. A história ocorre na cidade de Araguari em MG no ano de 1937 – época do governo de Getúlio Vargas – quando os irmãos Joaquim e Sebastião Naves são acusados pela morte de um homem que desaparece da cidade levando uma alta quantia de dinheiro. Os irmãos são torturados para confessar o crime que não existe, e até a mãe é envolvida na tortura do delegado de polícia, que obriga os irmãos a confessarem um crime inventado. Passados 15 anos de prisão a suposta vítima reaparece, nos mostrando a injustiça cometida pela justiça.
    O curta foi baseado no livro de João Alamy Filho, que no filme vive o personagem do advogado dos irmãos Naves. Lançado em 1967 o filme é uma clara crítica a ditadura militar vivenciada da época, é um apelo forte contra a tortura dos ditadores e as deficiências da nossa área jurídica. Além dos fatos históricos, o filme critica a manipulação de fatos. A produção nos faz desejar a justiça a todo momento, possui ótimo roteiro e excelente atores, sem dúvidas não poderia passar despercebido na mostra de cinema.