Homenagem à Stanley Kubrick

37ª MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA

Por Rafael Ihara 

O mês de outubro é especial para quem gosta de cinema: a Mostra Internacional, em São Paulo, é, por si só, um belo presente para quem aprecia um bom longa. Mas, como se não bastasse, a organização desse importante evento mundial criou, em parceria com o Museu da Imagem e do Som, também na capital paulista, uma exposição impressionante em homenagem a Stanley Kubrick, um dos mais importantes cineastas do século XX.

Devido à montagem, entrar no MIS transforma-se em uma viagem pelo tempo e pela memória. O diretor da exposição, André Sturm, preocupou-se em remontar cenários de alguns dos mais importantes longas de Kubrick. Por meio do uso de objetos que foram usados nas películas do diretor, o espectador sente como se estivesse presente no cenário usado na gravação.

O ambiente criado para ilustrar “Inteligência artificial” foi decorado com um assoalho branco bastante diferente e garante ao espaço um aspecto futurista impressionante. Mas o que mais surpreende em toda a mostra no MIS é a montagem feita pra gente lembrar o terror de “O iluminado”; foram posicionadas várias portas em sequência que, quando abertas, fazem surgir a faca usada em um assassinato do filme, os macacões de coloração clara usados pelas irmãs fantasmas, as roupas utilizadas pelos atores… Já a última porta, quando aberta, revela a máquina de escrever usada pela personagem principal. Nela, há um papel com uma frase escrita repetidas vezes – sinal de alguém que, acometido pela loucura, redige a mesma coisa repetidamente sem nem se dar conta disso.

A intensidade, vivacidade, detalhismo e tensão foram transferidos dos filmes de Kubrick para o MIS, na Avenida Europa. Os meandros de cada personagem se transformaram em uma decoração minimalista presente na exposição que cativa o público apaixonado por cinema. Quem curte os filmes da Mostra certamente não se decepcionará com essa homenagem a Stanley Kubrick, um dos maiores representantes da história da sétima arte.