Polêmicas femininas

large

Por Hélen de Freitas, Juliana Lima e Nicolás Lepratti

A marca, American Apple, lançou  neste mês de outubro uma camiseta, chamada “Period Power “, com a ilustração de uma vagina menstruada sendo masturbada. A autora do desenho é Petra Collins, artista canadense de 20 anos, conhecida por criar retratos que explorem a sexualidade feminina e a cultura das adolescentes. A Inusitada estampa causou polêmica entre as pessoas, paralelamente outro caso também ganhou atenção. Fran, uma jovem de 19 anos, de Goiana, teve um vídeo intimo divulgado, por meio do whatsapp ,pelo seu ex namorado.A gravação foi vista  e compartilhada por muitos, e a goiana foi alvo de inúmeras criticas e comentários tendenciosos. Os dois acontecimentos têm em comum  o destaque e  a repercussão   que causaram nos meios de comunicação, principalmente na internet.

Afim de compreender um pouco melhor a opinião das pessoas, a respeito de ambos os casos, entrevistamos Gabriela Munhon, 20 anos, estudante de Ciências Sociais e Eduardo Barbosa, 21 anos, estudante de Publicidade e Propaganda.

Café Pautado (CP)- O que você acha das polemicas relacionadas a mulheres que saem na internet ou em outros  veículos de comunicação? Como o caso da camiseta de menstruação ou do vídeo da goiana Fran.

Eduardo Barbosa –  Bom, primeiramente é evidente que na hora em que o casal está bem, alguns tipos de intimidades são realizadas e tanto um lado como o outro, nem imaginam o que podem acontecer. Quando ocorre uma situação desse tipo é porque houve um ruído na relação de ambos, isso é óbvio. E querendo ou não, as pessoas em geral estão sujeitas a isso, pois é nesse momento de crise que é possível ver quem o individuo é realmente e no que ele é capaz de fazer.

Gabriela Munhon- Em relação a camiseta da menstruação: o sexismo feminino parece estar na moda. Para mim existe uma linha tênue entre feminismo e sexismo. Algumas mulheres só tem invertido o papel de opressão de um sexo, humilhando os homens e os usando como objetos, ou mostrando coisas extremamente íntimas como a menstruação da mulher. Qual a diferença entre isso e o machismo?

Eu achei desnecessário uma camiseta onde uma mulher se masturba menstruada. Isso acontece, todas as mulheres sabem. E acredito que nenhuma veja problema nisso, pois é nosso corpo e é assim que ele funciona. É uma coisa natural. Mas e se fosse um cara usando uma camiseta batendo punheta? Eu gostaria de saber qual seria a reação da artista canadense que teve a ideia dessa camiseta.

As pessoas estão com a ideia de que precisam afirmar sua sexualidade, gênero, sei lá o que querem afirmar. Arte para mim é outra coisa.

Sobre o vídeo da Fran que vazou no whatsapp, nós só temos visto a repetição de mais um caso onde um casal grava um vídeo transando, o vídeo vai parar em redes sociais e a mulher sai como vadia.

Eu achei incrível  união das pessoas em defesa da Fran, porque até quando isso acontecerá?

Nós sabemos que a nossa herança cultural faz com que as pessoas continuem culpando a mulher que transou e permitiu que o cara gravasse, mas basta.

Mas eu vejo que a influência católica no país é grande culpada por essa visão também. O sexo tem que ser algo puro, apenas para reprodução segundo a Igreja Católica. E eu acho extremamente hipócrita ver várias mulheres entre 20/30 anos condenando a Fran. Eu gostaria de saber se essas mulheres que tiraram foto e postaram #fran fazendo piada transam caladas, na posição papai e mamãe, com seus maridos apenas para fazerem filhos.

E se fossem elas que tivessem confiado em seus parceiros para gravar um vídeo transando e esse vídeo tivesse vazado na internet?

Vejo muitas pessoas justificando as piadas dizendo que a Fran não devia ter gravado um vídeo, que ela não devia ter feito aquele sinal e dito aquelas palavras. Eu não entendo qual o problema nisso.

E eu duvido que essas pessoas nunca tenham dito nada obsceno enquanto transavam ou não tenham feito alguma coisa comprometedora no calor do momento.

E o engraçado foi que eu não vi polêmica alguma devido ao cara ser casado. Só em torno da menina que permitiu que o cara gravasse o vídeo. Isso é uma violência contra a mulher; feita por outras mulheres inclusive. O que elas não vêem é que poderia ser qualquer uma de nós.

CP– E você acha que toda essa polemica, desses dois casos,  só repercutiram tanto nas mídias porque se tratada de mulheres envolvidas?

EB- A questão sobre o vídeo das mulheres envolvidas teve essa repercussão toda, na minha opinião, devido ao fato de apesar de termos evoluído como sociedade, isto é, a mulher conseguiu ganhar muitos direitos com o passar do tempo, essa coisa de sensualidade – sexualidade é muito remetida ao gênero feminino. Ex: até hoje muitas propagandas induzem ao indivíduo a adquirir determinado produto para assim consequentemente conseguir mais mulheres, como: Desodorantes Masculinos e Cervejas. A mulher como foco em um assunto como esse é mais aceita pela sociedade do que se fosse homens envolvidos e ao mesmo tempo consegue dar o IBOPE esperado e “choca” menos as pessoas.

GM- Com certeza eu acho que esses temas só tiveram essa repercussão toda, pois se tratavam de mulheres.

Quem nunca viu aquelas camisetas masculinas com setas apontando para o pênis escrito tamanho GG, entre tantas que vemos por aí. Mas ninguém vê problemas nelas, ao contrário, muitas pessoas acham essas camisetas engraçadas (devo ser idiota por não entender a piada).

E estamos cansados de ver vídeos entre ex-namorados que escaparam ou que o ex-namorado colocou na internet para humilhar e constranger a ex-namorada. E por qual motivo ela passa vergonha e ele não? Por que o homem pode fazer sexo e a mulher não?

Infelizmente vivemos em um mundo machista e em um país patriarcal, assim como a grande maioria. Eu vejo que as mulheres já conquistaram um enorme lugar no mundo, mas a essa altura acho que nosso espaço deveria ser bem maior a ponto dessas coisas não acontecerem mais. Acho que as pessoas precisam parar e pensar mais na visão que têm do mundo e das coisas que as cercam.

Independente do sexo, religião, opção sexual e raça é importante  respeitarmos as pessoas , ao invés de julga-las ou discriminá-las. Sexo e sexualidade são assuntos que sempre causam polemicas, não importa qual época eles sejam abordados , os preconceitos e padrões estabelecidos pelas sociedades não vão deixar de existir, depende do bom senso de cada um qual decisão e postura irá tomar. Afinal o que nós torna seres humanos e não Deuses são as nossas imperfeições e erros.