Quando música é muito mais do que música

Por Beatriz Martins

Paz de espírito. Que outra definição melhor para a noite de sábado (18), que não essa? Aos presentes no Estúdio Emme, grandes lembranças para o deleite da alma. Impossível não sentir todo o público sintonizado na mesma onda e, como se nossos ouvidos pudessem respirar, o som invadia o corpo como se fosse o ar.

Criada há 8 anos e composta por Tales (vocal), Diego (percussão), Felipe (guitarra), Fernando (baixo) e Fábio (bateria), a banda Maneva, nome de origem africana que significa prazer, traz um repertório amplo que aborda diversos temas, como questões sociais, vida, morte, natureza e, é claro, o amor. Não é exagero dizer que é possível agradar desde um moleque de favela até a morena de saia pequena.

Diego, que dá vida às músicas, contou que foi mais ou menos nesse clima que a banda nasceu. Durante um show de reggae, surgiu a vontade de também estar nos palcos, ser combustível pra alma e inspiração aos possíveis fãs. Então ele ligou para Tales, o atual compositor, que abraçou a ideia e, juntos, montaram um repertório de aproximadamente 30 músicas. Assim, o desejo de serem músicos foi ganhando forma. E a missão da banda vem sendo concluída com sucesso, é notória a capacidade deles de traduzir, em ritmo e palavras, todo sentimento que sentem para aqueles que escutam suas canções de coração aberto.

E as letras, declarou Tales, surgem do nada. De repente, bate a inspiração e pronto! Claro que há aquelas que foram escritas em momentos difíceis, carregam dores do coração, outras são resultado reflexões sobre a desigualdade social, e algumas têm histórias meio malucas. Meu Pai É Rastafari, por exemplo, surgiu enquanto o vocalista assistia a um documentário sobre o assunto e pensou: “Como deve ser ter um pai rastafari?”, e a criatividade foi longe.

O Maneva segue uma linha independente, e, muitas vezes, a divulgação de shows é feita na própria fan page e facebook pessoal. O lucro é resultante das apresentações e da venda de produtos exclusivos na sua loja online. Sendo assim, viver apenas da música não é tão fácil. Apenas Felipe dedica-se inteiramente a vida artística. Todos os integrantes seguem outras carreiras, mas é no palco que a alma vibra.

Quanto as brigas, “sempre rolam”, disparou Diego. “A banda já passou por uma crise feia a um tempo, de repente perguntamos: O que estamos fazendo?”, mas o importante é que, apesar disso, até hoje eles seguem firme, buscando pelo dia em que possam viver com dedicação total ao Maneva, conquista que com certeza será erguida pelo amor à música.

maneva