“Cabaret Luxúria” faz critica bem humorada aos relacionamentos atuais

Quem pensa que no inferno só há almas sofrendo pelo que fizeram em vida, precisa assistir passar no Espaço Viradalata e assistir “Cabaret Luxúria”! O musical, que fez sucesso na sua temporada de estreia no Centro Cultural Banco do Brasil, em 2010, reestreou em São Paulo em Setembro falando sobre “o que de melhor se faz na vida: sexo, sexo e mais sexo”!

cabaret-luxuria

Brasileiro, o texto assinado por Rachel Ripani conta histórias do bordel infernal de Lilith, uma cafetina ninfomaníaca que também faz às vezes de MC “da casa”. Junto com seu parceiro Mephisto e a jovem recém-chegada Justine, Lilith narra histórias de paixão, amor e prazer, como o mito grego de Orfeu e Eurídice. O resultado é uma dura crítica aos relacionamentos contemporâneos, permeada por muito humor e sensualidade.

Seguindo o clima intimista de musicais de cabaret, a montagem conta com uma banda feminina em cima do palco, que participam da encenação também como personagens reais, que foram para o inferno, como Dercy Gonçalves, Marilyn Monroe, Amy Winehouse, Michael Jackson e sua mais nova integrante, Hebe Camargo – que vive na ponte área inferno-céu por questões divinas. Impossível não rir!

Como não poderia deixar de ser, a irreverência do espetáculo fica completa quando a plateia se torna parte do espetáculo, em cenas hilárias onde os anfitriões do “inferno” explicam aos recém chegados, por exemplo, o marketing do inferno e o ato do coito.

A montagem é imperdível justamente por ter um texto inovador para os padrões de musicais brasileiros, que em busca de lucro certo, investe apenas em fórmulas prontas, testadas e aprovadas pelo público anteriormente. Portanto, aproveite a reestreia de “Cabaret Luxúria” para deixar o pudor em casa e assistir um musical diferente.