Com projeções e ilusionismo, “Shrek – O Musical” chega a SP

Por Gabriel Justo

Diretamente do Reino Tão Tão Distante, chegou a São Paulo em Setembro “Shrek – O Musical”, na animação da Dreamworks. Após sua estreia em Seattle e depois na Broadway, em 2008, o musical passou pelo West End londrino e finalmente chegou ao Brasil agora em 2013, sob a direção de Diego Ramiro.

Semelhante ao primeiro filme da franquia, o musical conta a história de Shrek (Diego Luri), que recebe a incumbência de resgatar a princesa Fiona (Giulia Nadruz) do alto da torre de um castelo. A missão é dada ao ogro por Lord Farquaad (Felipe Tavolaro) que despejou todas as criaturas mágicas do Reino Tão Tão Distante no Pântano de Shrek. Na aventura para reaver seu lar, Shrek tem a companhia do irreverente Burro, encenado brilhantemente por Rodrigo Sant’Anna, do Zorra Total.

20130916112220TydjEV2IUw

Juntos, Shrek e Burro passam por vários apuros, incluindo um dragão gigante que flutua pelo palco. E os efeitos especiais não param por aí: convidado especial da equipe do espetáculo, Issao Yamamura assina este e muitos outros efeitos muito bem executados, como, por exemplo, o voo da princesa Fiona.

Bem sucedida em vários sentidos, talvez o único pecado da montagem nacional seja a utilização de projeções como cenário principal do espetáculo. Tendência da Broadway em 2005, o recurso já se provou uma escolha equivocada em várias produções, tanto nacionais como internacionais. Além de não ser muito bonito, as projeções são bastante suscetíveis a erros e imperfeições, que junto com os cenários sob trilhos que também são usados em “Shrek”, forma um conjunto que dificilmente agrada aos olhos.


“Shrek – O Musical”
Onde: Teatro Bradesco (1.437 lugares) – Rua Turiassú, 2100 (Bourbon Shopping), Pompéia, tel.(11)3670.4100
Quando: Sextas às 20h30 e sábados e domingos às 15h e 19h0 – até 22/12
Quanto: de R$35 a R$180
Classificação indicativa: Livre