A menina prodígio do surf feminino no Brasil

Por André Sampaio

Carioca, do Recreio, Chloé Calmon ( 18 anos) começou a surfar quando era pequena, pois seu pai é surfista e logo que começou a dar os primeiros passos seu pai já a colocava nas ondas. “Não me lembro com que idade ao certo peguei minha primeira onda, porque desde muito pequena meu pai já me colocava em cima da prancha.”. Bonita, simpática, humilde são alguns adjetivos para descrever Chloé, que concedeu uma entrevista para o Blog Café pautado.

Começou a surfar com pranchinha, porém uma vez pegou onda com a Long de seu pai, e desde então não largou mais. “O que me chamava a atenção no longboard era o estilo clássico, que remete às raízes do esporte, e a possibilidade de se divertir em qualquer tamanho de onda. O longboard é a demonstração mais feminina de surf na minha opinião.”

Chloé dropando uma onda

Aos 12 anos participou de seu primeiro campeonato no Rio de Janeiro, chegando às semi-finais ainda criança. Em 2010 se classificou para o campeonato mundial de Longboard, sendo a atleta mais jovem e ficou em 17°.  No ano seguinte voltou ao campeonato e ficou entre as 10 melhores longboarders do mundo. Sua onda favorita é em Malibu, na Califórnia, seus surfistas favoritos são: Kassia Meador (EUA), Taylor Jensen (EUA), Joel Tudor (EUA) e Chelsea Williams (AUS). Ela costuma surfar no Recreio e na  Macumba, onde encontra uma das melhores ondas do mundo para o estilo, segundo Chloé. Na água, chama atenção da praia inteira com as manobras charmosas e clássicas do estilo, perguntei se já tinha sofrido algum preconceito por ser mulher e ela respondeu: “Digamos que um preconceito leve… Por eu ser mulher e ainda estar de longboard, Mas isso acontece até repararem que sou profissional, mas tranquilo, na minha. Eu mesma quebro esse gelo”, afirma a atleta.

Sua mãe, que é estilista também a influenciou muito. Além de surfar, Chloé escreve sobre moda, comportamento, música e arte em seu blog.  ”Minha mãe é estilista, então desde pequena tive influência de moda assim como o surf. No meu blog, procuro não me prender a apenas um assunto (como surf) e falar de tudo o que gosto e que procuro em outros sites, como moda, comportamento, lifestyle, música, arte… Com isso acabei sendo convidada pela Roxy  para ser colunista de moda no site deles.”

Chloé Calmon

A surfista é submetida a um treinamento “fora da água” entre musculação, pilates, circuitos e atividade aeróbica para manter o condicionamento físico. Quando sobra um tempo livre ela curti correr, fotografar, escutar música que varia de Beyonce, Nicki Minaj, Oriente, The Doors entre outros.

Quando questionada sobre o futuro do surf feminino, Chloé é otimista, acredita que o esporte só tende a crescer. “Eu vejo o surf feminino evoluindo bastante, lembro que quando eu comecei a surfar não tinha quase nenhuma menina na água. Hoje em dia em qualquer praia tem várias meninas surfando! E bem, o nível aumentou. O surf é um esporte que não tem idade, então eu aconselho para todos, desde pessoas com seis ou 60 anos. Profissional ou só surfista de fim de semana, a felicidade de estar na água é igual“, diz.

No final da entrevista, deixou um recado para as meninas e para todos que estão começando no esporte: Tudo é possível, desde que você corra atrás do que quer. Ah, e preservar as praias e oceanos, nossa maior riqueza!”