“Tese sobre um homicídio” erra a mira no final

Por Diogo Sugaya

“Tese Sobre Um Homicídio” é um thriller que tem como um dos protagonistas a grande estrela do cinema argentino Ricardo Darín. Havia alta expectativa para o filme devido ao excelente “O Segredo dos Seus Olhos”, longa produzido no mesmo país e com o mesmo ator. Cabem comparações?

 

ImageImagem: divulgação

 

Roberto Bermudez, especialista em lei criminal, fica convencido de que um de seus alunos, Gonzalo (Alberto Ammann), cometeu um crime brutal na faculdade onde leciona. Ele então começa, por conta própria, a iniciar uma investigação que acaba por se tornar sua obsessão.

O filme faz o espectador ficar grudado no assento do início ao fim, embora desde o começo a produção cinematográfica já entregue quem é o assassino; como se não bastasse, ao longo da obra essa tese é defendida com o surgimento de vários indícios contra o já anunciado vilão da história. Falta uma linha tênue de dúvida que, se presente, poderia enriquecer a obra dirigida por Hernán Goldfrid.

Embora o filme seja cativante, ele constrói muitas expectativa e, ao final, acaba por não entrega-las. A conclusão do filme é, inclusive, um dos principais pontos negativos por se caracterizar como o anticlímax. Como consequência, o gosto amargo deixado pelo abrupto final quase faz com que se esqueça todas as qualidades expostas durante toda a extensão do longa.

Para completar, “Tese Sobre Um Homicídio” remete a memória do espectador ao americano “A Promessa”, de 2001, dirigido por Sean Penn e que conta com Jack Nicholson no papel principal. Nele um policial aposentado fica também obcecado em resolver um caso e, ao final do filme, os desencontros fazem o espectador se decepcionar – e, mais que isso, faz com que ele se perca dentro da narrativa proposta.

Não é um final em aberto: “Tese sobre Um Homicídio” decididamente erra o alvo.

Veja o trailer em: http://www.youtube.com/watch?v=io2wnhJeJ8I