Doenças invisíveis

Por Hélen de Freitas, Juliana Lima e Nicolás Lepratti

Quem, antigamente, seria diagnosticado com transtorno da ansiedade ou déficit de atenção? Nesta primeira década do século XXI, a ansiedade já afeta, aproximadamente, 12% da população brasileira. Pode parecer pouco, mas isso significa que 22 milhões de cidadãos do Brasil lidam com esse transtorno diariamente.

Diversos distúrbios são considerados como doenças do século XXI, mas qual é o motivo  disso? A vida conturbada, corrida e cansativa faz com que a população sofra de problemas psicológicos e físicos que afetam a qualidade de vida das pessoas.

Entrevistamos a Bruna Garrido, 18, que sofre de ansiedade. A jovem nos contou quais são os sintomas e como faz para amenizar as reações do distúrbio.

Café Pautado – Bruna, quando percebeu que sofria de transtorno de ansiedade?
Bruna Garrido – Eu sempre estive acima do peso, quando ficava nervosa, eu recorria à comida. Quando fui a um nutricionista para emagrecer o médico contou que a ansiedade me fazia comer mais.

CP – Você está em tratamento?
BG – Sim, estou. Tomo remédio diariamente há mais de dois anos, pois a ansiedade não me deixava dormir e consequentemente recorria à comida. Hoje, uso um comprimido antes de dormir.

CP – Você sentiu alguma mudança? Tem uma qualidade de vida melhor?
BG – Sim, bem melhor. Hoje, não preciso mais comer para me sentir tranquila. O tratamento fez com que eu me sentisse melhor.

Essas doenças não são um problema exclusivo do Brasil, o mundo inteiro sofre com isso. A tecnologia pode ter conseguido encontrar a cura de epidemias, porém as cobranças do mundo fizeram com que novos distúrbios surgissem. Segundo a Associação Mundial de Psiquiatria uma em cada quatro pessoas já sofreu de ansiedade pelo menos alguma vez na vida.

Veja se você sofre de transtorno de ansiedade.